Engolir sêmen do parceiro faz bem ou mal? Pode provocar doença?

0
Parceiro Indicador

Engolir esperma ou não durante o sexo oral é um assunto que ainda gera certa polêmica – e por diversos motivos. Há quem sinta nojo da prática, quem tenha medo, quem simplesmente não goste e até quem diga que o líquido faz bem para a saúde.

A verdade é que, como outros tópicos relacionados ao sexo, este ainda é rodeado por falta de informação e mitos e, por isso, muitas pessoas não sabem se a escolha de deixar o parceiro ejacular na boca faz mal ou não.

O que é ejaculação masculina?

Em primeiro lugar, vamos esclarecer em que consiste o líquido que sai do pênis durante a ejaculação masculina. Conforme explica a ginecologista Alessandra Bedin, trata-se da união entre o sêmen, que vem da próstata, e os espermatozoides, que são as células reprodutivas masculinas produzidas nos testículos.

“A união ocorre na próstata, e o resultado é composto, além dos espermatozoides, por proteínas, frutoses e alguns ácidos cítricos, que não fazem mal à saúde”, explica.

Sua cor costuma variar de branco a cinza claro, e a quantidade de líquido expelido, de 0,5 ml a 4 ml por ejaculação.

Contudo, estas características podem ser afetadas por diversos fatores, incluindo a quantidade de orgasmos que o homem teve no dia. Assim, não é possível determinar se há algo errado com a saúde do homem levando em conta apenas estes dados.

Engolir esperma

Faz bem?

Existe a ideia de que engolir sêmen ou mesmo passá-lo na pele do rosto pode trazer benefícios à saúde. Inclusive, Alessandra cita que alguns estudos afirmam que o esperma pode reduzir o mau humor, o risco de depressão e até de câncer, dentre outros benefícios.

Segundo ela há, de fato, algumas terapias alternativas que usam o líquido como parte de tratamentos de doenças. Porém, os resultados não são constatados cientificamente.

“Existem diversos estudos sobre algumas benfeitorias do sêmen, mas nenhuma é realmente comprovada. Comprovado mesmo, não existe nenhum benefício, apenas o prazer sexual do casal”, contou.

Faz mal?

A especialista afirma que o ato de engolir esperma, em si, não causa nenhum mal à saúde.

O que ocorre é que algumas mulheres relatam certo desconforto após o ato, como dor de barriga ou cólica.

Isto, segundo Alessandra, acontece porque o esperma é rico em prostaglandina, substância que pode gerar contração de musculatura lisa, presente no tubo digestivo.

“Desta forma, a mulher pode sentir um certo desconforto, mas isso não é nada demais e também não acontece com todas”, comentou a especialista.

Transmite doenças?

O grande risco da prática está no sexo oral sem proteção, permitindo a possibilidade de se contrair doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) ou infecciosas, principalmente, quando há alguma lesão na boca.

Conforme explica a ginecologista, o HPV e a herpes podem ser transmitidas pelo simples contato do pênis infectado com a pele.

“Já o HIV, clamídia, gonorreia, hepatite e sífilis podem ser transmitidas pelo contato com o sêmen contaminado”, explicou.

Orientações e cuidados

Via de regra, o sexo oral sempre deve ser realizado com camisinha – tanto quando feito no homem, quanto na mulher. No último caso, a dica é rasgar o preservativo e cobrir toda a vulva com ele.

Caso a pessoa queira que o parceiro ejacule na boca, o indicado pela especialista é fazer exames para garantir que ambos não tenham doenças. “É imprescindível que, antes de fazer o sexo oral desprotegido, a pessoa faça o exame e tenha total confiança em seu parceiro”, contou.

Além disso, vale lembrar que a escolha pela prática é algo absolutamente individual e só deve ser feita por quem se sente confortável com ela.

Fonte: Rôny Uchôa


Publicidade

Deixe um comentário