Cantor Saulo DuGado explica confusão em que se envolveu em padaria de Teresina

0
Parceiro Indicador

Músico disse que perdoa o Policial Militar que atirou para contê-lo.

Cantor Saulo DuGado explica confusão em que se envolveu em padaria de Teresina

Entrevista com o cantor Saulo Dugado. (Reprodução TV Cidade Verde)

O cantor Saulo DuGado concedeu entrevista à várias emissoras  de TV do Piauí para falar sobre a confusão que se envolveu na última quinta-feira (17), quando acabou sendo baleado por um Policial Militar numa padaria na zona Leste de Teresina. O músico foi internado num hospital particular e recebeu alta três dias depois, ele não precisará passar por cirurgia, mas ficará com a bala alojada no joelho direito.

O cantor falou sobre o caso. “Combinei com minha namorada de ir tomar café numa padaria, amanhe com os anônimos alterados, amanheci num dia ruim, mas todos da padaria também estavam. Eu recorri ao gerente e esse por sua vez me tratou mal. Foi quando o PM se manifestou e qual era conduta certa? Ele deveria ter dito que era policial, ter dito cidadão ou você se acalma ou se retire do ambiente ou você receberá voz de prisão e lhe conduzir. Chamar a viatura. Mais não, ele já foi perguntando se eu queria tomar um tiro e eu com animo alterado, houve uma discussão como mostra no vídeo. Mas, não passa no vídeo o antecedentes, a atitude da garçonete, do gerente. Tem que ter aquela premissa que o cliente tem razão. Houve bate boca de lá pra cá e de lá pra la. Quero aproveitar para pedir desculpas a população piauiense, as pessoas que estavam na padaria. Houve excessos, mas a discussão poderia ter sido resolvida de outra forma, sem tiros”, disse.

Sobre a cadeira que pegou para arremessar no policial, Saulo diz “peguei a cadeira porque o PM pegou na arma, ele já tinha me contido, justamente por medo de pegar o tiro peguei a cadeira, foi pra me preservar”, ressaltou.

O músico também explicou o porque de estar alterado tão cedo da manhã. “Saí cedo, 7h da manhã para tomar esse café. Há mais de anos não bebo ou uso qualquer substancia que altere meu humor. Tenho exames toxicológicos que comprovam isso”, justificou.

Sobre o PM que atirou nele, Saulo disse. “Eu estou aqui como humano, ele responde há um processo atrás e responderá sobre a medida cautelar que descumpriu. Eu não vou julga-lo, isso fica de lição pra mim e pra quem está assistindo. Meus advogados estão vendo e a Justiça é quem decidira isso. Fica a lição, briga não sé resolve com violência física, o certo é uma boa conversa”, finalizou.

Relembre aqui o caso agora

Por: Fala Piauí

Deixe um comentário